Home

domingo, 10 de abril de 2011

Obesidade como sintoma


Você já parou para pensar o que está atrás do ataque a geladeira, o comer compulsivo de bombons até a caixa se esvaziar, a vontade repentina de comer o sanduíche duplo do MacDonald's com batatas fritas?
Atacamos a comida como forma de amenizar nossas frustrações, para compensar a correria do dia a dia, pela raiva do negócio que deu errado, pelo estresse.
Usamos a comida nessas horas para aliviarmos sensações ruins que estão presentes em inúmeros acontecimentos em nossa vida, como uma forma de nos sentirmos mais confortáveis.

Não se preocupe se isso acontece com você, pois são diários esses relatos quando se fala em ganho de peso e emagrecimento.

Os chocolates, por exemplo, elevam o nível de serotonina no organismo que produz a sensação de bem estar. Mas sabemos que esse comportamento apesar de delicioso, pois não satisfaz somente nosso paladar, como produz uma sensação de satisfação, irá se instalar em nosso corpo em forma de gorduras (indesejáveis).
Mas, e o peso como fica? É claro que o comportamento de utilizar a alimentação como válvula de escape, não é adequado, pois irá gerar um aumento significativo de peso e insatisfação com sua imagem corporal.
Substituir essa alimentação excessiva por exercícios físicos é mais eficaz e mais saudável.
Quando fazemos exercícios, liberamos a serotonina em nosso organismo, que produzirá a mesma sensação de bem estar que o chocolate produz, só que de forma mais eficiente e saudável, sem falar na satisfação de sentir-se mais disposto, com boa auto-estima, e principalmente satisfeito com seu corpo.

A Obesidade é multifatorial sim, mas o que vem disparando o aumento de casos de forma significativa, são os processos emocionais que promovem ansiedade, que nos levam ao exagero alimentar.

O processo de auto conhecimento é fundamental para lidarmos de forma mais adequada em relação as nossas compulsões. Com o aumento da auto-estima, e o reconhecimento de suas potencialidades, fica possível o alcance das metas pretendidas, nos possibilitando um melhor relacionamento com nosso corpo e, com certeza, com a comida.


Psicóloga e especialista em Transtornos Alimentares, Luciana Kotaka desenvolve seus trabalhos há mais de 14 anos, sendo referência nesta área por realizar atividades focadas em tratamentos que envolvam a relação direta entre o distúrbio do peso e a psicologia.

Em seus trabalhos, Luciana parte dos conhecimentos dessa ciência para então chegar nas possíveis causas do transtorno alimentar do paciente. Nos encontros, busca mostrar às pessoas que é possível emagrecer de forma sadia tanto mentalmente quanto corporalmente.

Neste novo formato de terapia o paciente consegue observar o quanto têm um papel fundamental para sua própria saúde, bem estar e qualidade de vida.




Psicóloga Luciana Kotaka
CRP – 08/06502-1
Curitiba - PR

3 Comentários:

Eu Preciso e Vou Emagrecer disse...

adorei a materia minha linda sucesso seu blog viu adorei tenha uma linda semana bjs no ♥

Helena disse...

oi, amiga! gostei muito da postagem é também muito valida. pois isto acontece mesmo. bjs e boa semana light.

Adriana Alvarez disse...

Texto muito bom para provocar reflexão!

Um grande beijo

www.emporiocasadachiquinha.blogspot.com

Postar um comentário

Seu comentário é sempre um incentivo! Obrigada e volte sempre!
( :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...